Um futuro que jamais chegará!

escolaqueimadapvh_2Desde que me afastei da indústria para criar minha própria escola, eu tinha o intuito de ajudar a fortalecer a construção de uma base educacional efetiva dos estudantes que frequentam as escolas particulares e públicas da minha cidade. Mas tenho visto uma realidade assustadora que chega às raias da loucura. Por mais que eu tente entender o que realmente está acontecendo, cheguei a conclusão que será necessário muito tempo para eu me aprofundar mais ainda nos estudos do pensamento humano.

Quero que minha mente seja clareada com algum facho de luz para entender todo o processo de destruição a que gerações inteiras foram e estão sendo submetidas ao frequentar escolas fundamentais, médias e superiores neste país.

Por força desta minha atividade atual, tenho que regularmente agendar conversas com escolas da minha região para aplicar projetos educacionais junto aos alunos de instituições públicas e particulares.

Hoje visitei uma escola estadual muito conhecida no meu bairro. Logo que cheguei, fui muito bem recebido pelos funcionários e pela direção. Pediram para que eu esperasse para poder iniciar os trabalhos. Neste momento, ainda sentado, observei que havia uma bíblia sobre um pedestal aberta nos salmos. Resolvi folhear e acabei chegando no apocalipse. Nada mais apropriado para o que eu veria a seguir.

Após ser interrompido em minha leitura por um grito alto, notei um certo alvoroço entre os alunos. Eles ficam em uma ala separada da secretaria. O acesso às salas de aula é dado por um corredor que está separado por grades. Os alunos, todos fora das salas de aula, aos gritos e pulos estavam aparentemente fora de controle. Corriam, socavam portas, pulavam, batiam uns nos outros. Notei que aquilo é uma rotina normal para todos eles.

Uma balburdia, uma “mixórdia” como dizia minha mãe. Um verdadeiro caos. Os funcionários tentando controlar os alunos que, sem a menor cerimônia, deixavam as salas de aula a qualquer momento para atormentar outros alunos em outras salas. Os professores educadamente até tentavam organizar a aula, mas a força da “liberdade de expressão” destas “crianças” é muito mais poderosa. Nada pode ser feito.

Percebi que os alunos maiores e mais velhos, estavam totalmente endemoniados e sem controle, mesmo depois de terem sido advertidos pela direção e alguns, mesmo sendo suspensos e retirados da escola, voltavam para lá, desafiavam a hierarquia da escola sabedores de que nada nem ninguém os poderiam deter, nem a polícia. Eles tinham uma gana em destruir o pouco que resta de dignidade dos coordenadores e professores. Tripudiavam sobre suas autoridades.

Depois de alguns minutos, após a confusão ter sido controlada, fui conduzido por uma funcionária, a uma sala da 6a série para proferir minha palestra. Ali, onde crianças se amontoavam e desorganizadamente mentirosamente se colocavam à disposição do professor para aprenderem a lição do dia.

Fiquei diante da sala com pouco mais de 25 alunos entre 10 e 13 anos e observei atentamente cada um deles. Crianças com todo o potencial para despertar e florescer, para serem eles verdadeiramente. Percebi que precisavam apenas da boa Luz para germinar a semente que está adormecida dentro deles. São diamantes brutos a serem lapidados. Após alguns segundos de observação iniciei meu contato com eles perguntando:

“- Olá pessoal? Peço um pouco de sua atenção!”

Muitos daqueles olhos, que brilhavam em minha direção, estavam ávidos por afeto. Ávidos para ouvir uma frase vinda de seus pais. Talvez um “- Eu amo você meu filho”

Não creio que eles ouçam isso das famílias desestruturadas de onde muitos deles vem.

Mas essa é a realidade. A completa falta de conexão, o desespero, a super exposição à todo o tipo de informação inútil, às drogas e a criminalidade transforma esses alunos em seres desfragmentados. Um fala sobre o outro em uma confusão de palavras e dúvidas sem respostas, uns se socam, outros se xingam, uma dorme descaradamente, outras no fundão falam de seus amores ou do baile funk do fim de semana. A falta de respeito entre eles é enorme. O meu colega professor está refém e impotente diante destes tiranos que são sequestrados todos os dias pelo Estado pra estarem ali com o único propósito de “passar de ano”.

Minha cabeça começou a rodar. Criava pensamentos tentado achar onde e quando aconteceu essa ruptura com as condutas morais e educacionais. Quem estabeleceu esse critério de formação destas tiranias do ter a qualquer custo, do prazer em desconstruir, do desrespeito a si mesmo? De onde veio esse currículo do qual nada pode ser feito corretamente e jamais irá dar a um aluno imbecilizado pela ditadura do prazer imediato o que ele realmente precisa para se desenvolver como ser humano?

A resposta pode estar em alguma ideologia nefasta que, através de conceitos errados e sonhos utópicos de “total igualdade e liberdade”, dominou toda a cultura educacional do país e criou esse sistema monstruoso de “educação e ensino” que agora devera a tudo e a todos à sua volta.

É como diz meu professor de filosofia Olavo de Carvalho:

“Por muito tempo, foi negado às nossas crianças durante anos, qualquer rudimento de educação, por mais mínimo que fosse, para lhes garantir a longo prazo uma vida mais dotada de sentido. O sistema educacional brasileiro tornou-se um dos piores do universo, uma fábrica de analfabetos e delinquentes como nunca se viu no mundo. Sabendo perfeitamente que a quebra repentina dos padrões de moralidade tradicionais produz aquele estado de perplexidade e desorientação, aquela dissolução dos laços de solidariedade social, que desemboca no indiferentismo moral, no individualismo egoísta e na criminalidade.”

Foi exatamente o que vi hoje naquela sala de aula do 6o ano do ensino fundamental de uma escola pública da periferia de São Paulo.

Apenas para ilustrar, o aluno que fora suspenso, voltou horas depois de forma pedante e delinquente. Apesar da direção chamá-lo, aos gritos para que ele se retirasse , ele simplesmente ignorou e seguiu adiante para sei lá onde com um caderno na mão. Um ser completamente sabedor de sua imunidade, um Nero, pronto para colocar fogo em Roma. Ameaçou a professora de morte sem cerimônias.

Me parece que a desorganização sistemática da sociedade é o modo mais fácil e rápido de elevar uma elite militante esquerdista formada por psicopatas ao poder absoluto. Pois só com a destruição do pensamento é possível perpetuar a ideologia do ter em detrimento do ser.

A educação é uma conquista pessoal, mas precisa de alguém, de algum mestre que indique os caminhos para os educandos. Eles precisam de um mentor. Agora, como fazer uma criança que vive nesse ambiente nefasto entender isso sem uma base comportamental e moral que a sustente?

Infelizmente, diante deste cenário e da realidade que me cerca, estou convicto que aquele país do futuro, que sempre nos fizeram acreditar, jamais chegará.

* César Manieri (54),  é engenheiro, músico, empresário, professor e especialista em educação matemática, diretor da escola Integro. Escreve em seu blog “Na metade do Caminho” e autor de textos e pensamentos sobre conservadorismo, religião, política, educação e auto conhecimento.

Anúncios

3 comentários sobre “Um futuro que jamais chegará!

  1. Marcia Barichello março 18, 2015 / 1:54 pm

    Muito triste e verdadeiro. Os pais entregaram a educação aos professores, como se obrigação deles fosse. Ninguém mais acredita em respeito, e as crianças em nome da “liberdade de expressão” foram atiradas a sua própria sorte e incentivadas a transpor todo e qualquer limite. Uma vergonha! É a criação de uma nova geração de marginais . Sem regras, sem educação, … sem limites!

  2. Margot março 12, 2015 / 5:42 pm

    Perfeita sua análise da educação no país. Um verdadeiro caos, o Apocalipse bíblico.
    Abraço

    • Cesar Manieri março 12, 2015 / 9:43 pm

      Vivo com essa realidade todos os dias Margot. É muito triste. Uma idiotização ou imbecilização total dos alunos deste pais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s