Por que precisamos de leis, e por que quem as criam não as respeitam?

1 menorLeis que cerceiam a liberdade são criadas e serão criadas cada vez mais por causa de um simples fato: Vivemos em um mundo sem valores morais, sem o virtuosismo necessário para vivermos decentemente sem precisar de leis que cerceiam a liberdade. Por exemplo, não precisaríamos de milhares de radares para multar e vigiar motoristas incautos, se simplesmente respeitássemos as leis básicas da natureza, claro, se todos soubéssemos que é a energia cinética acumulada que mata e não apenas a velocidade, lógico que mudaríamos nosso comportamento, inclusive se respeitássemos minimamente nossa integridade física e a de terceiros, claro que não precisaríamos de vigias.

Outro exemplo: Eu tenho uma pequena escola e meus alunos não querem aprender verdadeiramente porra nenhuma, salvo algumas honrosas exceções. Eles vem aqui obrigatoriamente apenas para passar de ano e ponto final. Não são e nem foram educados o suficiente para “o saber em si”, para o prazer em ler decentemente um bom livro, para a literatura clássica, para o prazer em ouvir uma boa música erudita, para a gramática, para as línguas, se esquecem da aritmética, estão pouco se lixando para a astronomia ou para a música verdadeira. Eles mais querem é “que se foda a alta cultura”, pelo menos é o que muitos dizem para mim e o pior, para si mesmos. Se esquecem de suas origens, não sabem de onde vieram e o quanto seus antepassados lutaram para eles viverem em uma liberdade dominada hoje pelo relativismo moral.

Por favor, senhoras e senhores, não confundam educação verdadeira com o ensino “barato” das escolas públicas e particulares deste pais. É uma fraude essa “educação”. Educação verdadeira não passa pelas carteiras escolares. Se a verdadeira educação realmente existisse e estivesse em prática, não estaríamos discutindo bobagens como: “mais educação, menos prisão! ou, não a redução da maioridade penal!”, não subverteríamos o conceito elementar das coisas. É por isso que estamos sem saber de verdade o que é uma boa educação, sem saber retórica, lógica, dialética. Sem saber a verdade. Sem entender que ensino pode ser qualquer merda, menos educação. O ensino no Brasil é irrecuperável, já dizia o professor José Monir Nasser e creio que ele tinha razão. É ingenuidade pensar que o Bê-á-bá da pedagogia do oprimido nas escolas pelo país vai resolver alguma coisa, que vai resolver a violência nas periferias, que o 2+2=4 vai mudar a moral de menores traficantes e drogados, que as escolas deste pais poderiam mudar o conhecimento de 120 milhões de analfabetos magicamente e olha que eu me incluo nesta leva de analfabetos funcionais, eu me incluo nesta estatística e por saber disso luto bravamente para sair dela. O estado diz que investe 1/4 do orçamento da união em “educação” e vejam o resultado, olhem por si só e vejam o resultado porco!

São esses políticos sem valores morais e incoerentes que vivem falando bobagens sobre educação que amam isso. Vivo nesta civilização brasileira decadente e podre que tem um pensamento abaixo da mediocridade. Nossa realidade social e política, hoje no Brasil, mostra o quanto somos limitados como civilização, basta olhar a sua volta e você verá, nada produzimos de útil, nossa cultura literária e musical desaba a cada dia e a alta cultura da civilização ocidental foi totalmente desintegrada, o direito sobrepuja os deveres, nossa fé cristã milenar está fadada ao desaparecimento e o pensamento grego está completamente desmoralizado. Assim, nesse caos brasileiro, foram criados os legisladores e os juízes, e isso parece loucura, pois ambos não respeitam as leis. Eles criam as leis para os tolos viverem em um mundo com o mínimo de controle. E só os tolos esperam algo deste mundo.

Pensem: Como não vamos criar leis que limitam a ação de gente criminosa cada vez mais incompleta como seres humanos? Assim, as leis são criadas por gente que não as respeitam. Eles as criam para conter a turba ignara que possam atrapalhar seus planos totalitários.

Por outro lado, a única forma de conter facínoras super desenvolvidos, psicopatas juvenis é tirando-os do convívio da sociedade. Quem, em sã consciência, acha razoável algo diferente disso? Ninguém. Mas atualmente eles foram ainda mais longe, estão criando leis para prender pessoas inocentes dentro de suas casas por não respeitarem decretos sanitários. Ao mesmo tempo libertam das prisões facínoras e psicopatas por respeito às normas sanitárias de pandemias. Tudo para o nosso bem.

Temos que tomar cuidado e devemos ficar muito atentos, pois alguns querem que nossa civilização se transforme em castas automatizadas que não pensam, é como no Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley, Seremos Alfas , Betas, Alfa Mais, Alfa Menos. Ora, é como diz o livro: “se estou triste tomo um grama de “soma” para alegrar”. Soma no livro é uma droga da felicidade, mas na nossa vida real não é apenas uma droga como a maconha ou a cocaína que querem liberar, é sim, além disso, todo o lixo cultural produzido para te entreter e te enganar, para manter o “status quo” e o poder de uma elite com uma ideologia do “quanto pior melhor”.

Somos ingênuos, somos como crianças que choram quando a mamãe sai do quarto e achamos que ela jamais voltará. Queremos a mamadeira do Estado eterna farta e fácil nos empanturrando. Queremos o mundo perfeitinho com todas as injustiças sociais resolvidas, mas como ter um mundo assim? Sinto dizer, mas esse mundo imaginário não existe e nem existirá. Esperamos nos outros, (ou em alguma outra entidade humana sobrenatural, um super herói, um ET), que resolvam estas questões como num passe de mágica, mas que na verdade são questões de nossa inteira responsabilidade. A solução é pessoal, vem de dentro do nosso espirito e mente. Mas, muitos querem o prazer agora, querem sorrir agora, querem ser felizes já, mas não querem saber quem é si mesmo de verdade, têm medo do olhar no espelho e descobrir que faz parte da humanidade de seres imperfeitos vivendo em um mundo imperfeito e que não faz parte do panteão dos deuses eternos vivendo num pretenso paraíso igualitário socialista.

Para diminuir os presídios, devemos é quebrar de vez a cela de arrogância que criamos dentro de nós mesmos e aceitarmos o fato de que temos que trabalhar, ser humildes e estudar de verdade, e muito, para que toda a sociedade entenda definitivamente que é cada ser, cada um de nós, de forma integral e verdadeira, que podemos diminuir um pouco a dor que sentimos nesta vida, que podemos ter uma vida mais agradável sim, com mais qualidade para todos, mas sabendo verdadeiramente, de forma consciente e clara de que a vida jamais será perfeita.

* César Manieri (54),  é engenheiro, músico, empresário, professor e especialista em educação matemática, diretor da escola Integro. Escreve em seu blog “Na metade do Caminho” e autor de textos e pensamentos sobre conservadorismo, religião, política, educação e auto conhecimento.