Aborto! Por que sou contra?

tumblr_mbk68t1gWL1qzoucbo1_250Em primeiro lugar porque sou conservador, e nós conservadores, acreditamos que o papel do ser humano não é corrigir a natureza humana ou moldá-la como os revoltados de plantão querem. Eles que acham que sabem o que é o ideal para os seres que fazem suas escolhas de forma consciente. Nós conservadores, levamos muito a sério os seres humanos como pessoas íntegras e que tem o igual direito de proteção, direito a vida.

É como diz o conservador e escritor inglês R. Scruton : “Nós vivemos e pertencemos a um lar comum e ser conservador é levar a vida com vinculo afetivo, pois somos seres sentimentalmente ligados às coisas que amamos e desejamos proteger contra a decadência”.

É inconcebível, principalmente para pessoas como eu, ver como essa gente, até certo ponto bem articuladas e inteligentes, trata essa questão do aborto de uma forma banal e canalha. Tratam como se fosse qualquer coisa. Vejo o dia, caso legalizem essa prática, quando as mulheres chegarão ao salão de beleza e encontrarão a promoção do dia: “Faça sua unha e cabelo com a gente, aproveite e faça também seu teste de gravidez e, em caso positivo, você ganha um aborto com 50% de desconto na hora”. É assim que hoje muita gente trata essa questão.

Ora, pensem, essa não é uma mera questão física ou de saúde publica como disse um deputado de Brasilia, é uma questão primeiramente espiritual e depois ética. É simples entender que se legalizarem essa prática, a promiscuidade corrente correrá ainda mais solta, afinal, liberará muita gente de sua responsabilidade como seres humanos e com a preservação da vida. Será fácil e simples. Afinal, homens e mulheres irresponsáveis irão viver uma vida de prazeres, e sabedores de que poderão realizar o aborto em caso de algum problema, se entregarão à ode ao hedonismo. Assim, seguirão tranquilamente se esbaldando em uma esbórnia sem culpas durante a vida toda. Claro, será a nobre ação deste deputado em dar esta proteção àqueles que querem viver irresponsavelmente.

Muitos abortistas, vomitam aos quatro ventos suas opiniões sobre a crise ética que nossa sociedade vive e da corrupção que ela está enfrentado, falam da criminalidade e na proteção das minorias indefesas. Posam de bons moços. É muita cara de pau quando aparecem na TV falando de seu apoio à legalização do aborto. Essa prática, é algo tão anti ético e corrupto, criminoso e segregador quanto as opiniões que eles tanto abominam e acusam uma elite de fazê-los. Eu digo, são loucos completos, pois seres abjetos como esses são contraditórios em si mesmos. Eles são ausentes de caráter. Eles querem eximir as mulheres que engravidam de suas reais responsabilidades. Da mesma forma acontece com o homem fraco que também não assume essa responsabilidade e coloca como opção a sua parceira, o aborto para resolver o “problema” e que foi criado por ele mesmo. Para os homens que não são homens o suficiente e que não assumem sua cria, existem as merdas das leis, oras bolas.

Jamais podemos ir na direção da legalização do aborto, pois isso é a extrema banalização da vida. O ser humano não é uma coisa qualquer, não é farinha, ovos ou açúcar, nem bolo. Mulher grávida não é uma coisa qualquer. Não é um objeto. Objetos não mudam seu comportamento. Mas os seres humanos tem essa capacidade, o ser humano é ação e potência. Mudando o seu comportamento, sendo ético, criando valores e tendo virtudes, não será necessário legalizar tal prática. Porque com tais atitudes, gravidezes indesejadas não surgirão aos montes. Gravidez indesejada surge onde há o descuido do ser humano. E se isso acontecer, os envolvidos deverão arcar com a responsabilidade de seus atos e suas consequências.

Ouvindo os abortistas, a impressão que eu tenho é que eles colocam isso tudo no mesmo patamar da dieta, do salão de cabeleireiro ou do bronzeado na praia. Só isso. E o caráter, a ética, os valores que herdamos por séculos, para onde vão? Qual o valor do ser humano que defende ou pratica o aborto? Me respondam?

O que eu digo é que para responder a essas perguntas, devemos olhar para nosso mundo interior. Nosso mundo externo é o reflexo do nosso mundo interno. Aquilo que vemos materializado em nossa realidade é fruto de nossos atos, pensamentos e desejos mais profundos. Se uma gravidez indesejada acontece, é certo que ela é fruto dos atos de quem praticou sexo de forma descuidada. Se ela não acontece, não acontece o aborto. Entendam, a sociedade moderna está passando por um profundo processo de degradação moral. Estamos voltando ao primitivismo, da mesma forma que o marxismo imaginou para onde deveríamos voltar, mas foi a ética, a moral e os valores que nos tirou das trevas, nos tornou humanos e nos deu as famílias e seus legados. Mas esses movimentos culturais de esquerda estão destruindo os valores ocidentais construídos por mais de vinte séculos. Movimentos esses que lutam pela legalização das drogas, pelo aborto, pelo poliamor (putaria), e tem gente querendo vender o feto abortado para empresas que estão dispostas a comprá-los, ou vender suas partes para doação de órgãos e uso de células tronco, um total absurdo. É o ser humano querendo ser deus. Querendo mudar ou corrigir a natureza das coisas. O ser humano está se revoltando contra uma ordem divina e universal. Parece comandados por um “ser” que odeia a humanidade.

Aqui está a questão espiritual: Dar a vida humana como oferenda a este “ser” abominável. O mesmo “ser” que se rebelou contra a vontade de Deus, o mesmo “ser” que quer transformar esse mundo em um paraíso hedonista feito de escravos imbecilizados. O estado, seu comparsa, já está se mobilizando fortemente para isso. Ele fomenta essas discussões na sociedade, engana os incautos e será o primeiro a fornecer subsídios para a prática do aborto. O pior é que esse mesmo estado usará o dinheiro dos impostos do cidadão de bem para implantar isso no SUS.

Olhem só a loucura: o cidadão, com sua vida desregrada, teria a chancela do estado para realizar o aborto e, em uma hora mais ou menos, sairia do hospital livre do seu “problema” , voltando à sua porca vida sem nenhum sentimento de culpa ou arrependimento. Para que ter responsabilidade na vida, não é mesmo? Eles são os criminosos que matam e não querem ser presos, são os alunos que não estudam, mas querem passar de ano e são as mulheres que engravidam, mas não querem arcar com as consequências de uma gravidez. Sim, queremos abortar tudo que nos atrapalha nesta vida, fugindo dos “grilhões das responsabilidades”.

É neste ponto que mostro claramente porque sou contra o aborto, afinal como posso ser a favor de atos de pessoas que jogam suas responsabilidades na lata do lixo e servem a um propósito egoísta? Homens e mulheres devem arcar as consequências de seus atos com responsabilidade. Só teremos um mundo melhor para viver, se nós humanos nos reformarmos interiormente, sabermos quem nós somos de verdade, encarar nossos medos, inseguranças e fantasmas. Saber como lidar com a nossa finitude e entender a real importância da vida humana. Ignorar nosso lado espiritual só nos colocará no patamar mais fundo da existência. Mas ainda há esperança, pois devemos ter fé nessa mudança interior, afinal Deus odeia o pecado, mas ama profundamente os pecadores.

* César Manieri (54),  é engenheiro, músico, empresário, professor e especialista em educação matemática, diretor da escola Integro. Escreve em seu blog “Na metade do Caminho” e autor de textos e pensamentos sobre conservadorismo, religião, política, educação e auto conhecimento.

Anúncios

Um comentário sobre “Aborto! Por que sou contra?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s