Masculinidade, o que está acontecendo com os homens?

supermouse

E o rei Davi, em seu leito de morte, diz para seu filho Salomão:

– Eu me vou pelo caminho que segue toda a terra, se corajoso e porta-te como homem!

Quantas vezes eu ouvi de minha mãe e de meu pai essa admoestação:

-Seja homem, menino! Engole esse choro! Pare com isso.

Por que isso? Por que os pais falam ou deveriam falar isso para seus filhos homens?

Não dizem isso para suas filhas:

– Seja mulher menina!

Lógico, nenhuma mulher de verdade precisa se afirmar de sua feminilidade. Me parece que o substrato básico da humanidade é a feminilidade. Então, para que surja o homem é necessário um determinado esforço. Os meninos, quando embriões, que vivem toda sua gestação no ambiente feminino da mãe, precisará se esforçar biologicamente, pois o embrião é inicialmente feminino, mesmo quando sendo geneticamente um menino. E para nascer um menino, uma atividade química profunda acontece fisicamente.

Psicologicamente os filhos são criados pela mãe, naturalmente, até uma certa idade. Somos mamíferos e vivemos do seio materno. Meninas vivem o mundo da mãe e não precisam sair dele. Os meninos precisam se afastar do ambiente da mãe, por isso nós homens precisamos nos esforçar para sermos Homens. Se não fizermos isso, viveremos no mundo feminino para sempre, seremos eternos afeminados. Ser mulher é ótimo. Sim. Mas para as mulheres. Ser Homem é uma condição espiritual, cultural. Isso vem de nossa herança Judaico Cristã. Em várias culturas existem o rito de passagem para a vida de homem. Temos que nos dar em sacrifício. Devemos sair do mundo feminino e nos sacrificar. Ser Homem é dar a vida pela suas mulheres. O homem é o que luta e tem valor, o Homem varonil.

Então como se faz um Homem?

A masculinidade se faz como uma tarefa, como um desafio, como uma longa viagem. Nós devemos nos fazer Homens. Devemos nos tornar Homens.

Recentemente, na Alemanha, mulheres foram brutalmente estupradas por “imigrantes” na cidade de Colônia. No início, a imprensa noticiou isso timidamente, mas diante da indignação de muita gente, mais detalhes deste crime começaram a ser divulgados. Com isso discussões acaloradas sobre as motivações e diferenças culturais começaram a ser travadas.

O que mais surpreendeu foi a reação do homens europeus. Houve uma manifestação na Holanda onde os homens vestiram minissaias em protesto contra esse ataque sexual em massa. “Nossa, agora os agressores se sensibilizarão e não vão mais atacar as mulheres Europeias que usam mini saias” eles devem ter pensado.

Foi isso que décadas de ativismo feminista conseguiu. Esse foi o resultado nefasto desta política ignóbil que tornou o homem, não só o Europeu, em um ser afeminado incapaz de proteger e defender suas mulheres.

Os homens estão deixando de lado a virilidade, honra, coragem, coisas úteis para proteger suas mulheres e sua cultura. A situação é grave e isso se tornou mais evidente ainda quando papa escondeu do líder iraniano as pirocas das estátuas com medo de ofende-lo. Fazendo isso, o papa, com seu “bom mocismo”, baixou as calças do ocidente para o líder iraniano literalmente.

Foi o que disse uma jornalista Dinamarquesa, sim uma mulher europeia, esta semana:

– Que mensagens estamos , então, mandando para os agressores de outras culturas que não respeitam mulheres? A resposta é: Que os homens Europeus agem como mulheres. Isso mostra que não temos homens e poder para lutar contra os agressores.

Sim, uma mulher europeia esta dizendo isso. E ela diz mais:

– Isso está também relacionado com os políticos europeus que são fracos. São como as mamães que acolhem, protegem, são inclusivos e nos dizem como devemos respeitar refugiados e outras culturas. Claro que devemos ajudar quem necessita. Mas os europeus não estão sabendo lidar com essa onda de estupros e terrorismo. A cultura está afeminada. Muitos homens europeus foram educados para serem e pensarem como mulheres e ter mentalidade dócil.

E onde foi parar a virtude heroica masculina?

Perdeu-se no desbalanceamento entre o feminino e masculino. A nossa cultura precisa do equilíbrio entre o poder masculino e feminino. Mas agora o poder masculino se foi e podemos ver aí as consequências disso.

O Homem é o que luta, que defende sua família contra o inimigo, que entra na batalha. É este que deve ser criado. E o Homem deve fazer isso sacrificando o seu próprio ser.

São as histórias tradicionais da nossa civilização que nos ensina isso. Histórias de bravura. Do homem que resgata a sua princesa das mãos dos tiranos.

Hoje em dia não vemos mais homens virtuosos, de valores, capazes de ficar em pé e lutar de verdade contra esses agressores. Vemos apenas umas mocinhas assustadas protestando de minissaias.

Não reajam, eles nos dizem, deixe que levem tudo!

Eu sou o macho protetor sim. E ensino meus filhos a o serem também. Afinal, quando criança eu admirava o super Mouse que salvava sua doce amada das mãos de gatos tiranos, eu adorava brincar de capa e espada onde eu, em meus sonhos, cortava ao meio todos aqueles que ousassem invadir meus castelos imaginários. E ai daquele que tentar invadir meu castelo hoje, será expulso à base de muito estampidos de pólvora nada imaginários.

 * César Manieri (54),  é engenheiro, músico, empresário, professor e especialista em educação matemática, diretor da escola Integro. Escreve em seu blog “Na metade do Caminho” e autor de textos e pensamentos sobre conservadorismo, religião, política, educação e auto conhecimento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s