O que a vida nos ensina?

life-long-learningA vida nunca trouxe tantos desafios para os brasileiros como nestes últimos anos. Vemos a destruição dos valores fundamentais da civilização ocidental, eles estão sendo transformados em pó. Políticos e empresários mancomunados em destruir tudo que foi construido por nós durante décadas a fio. O clima dentro das empresas está cada vez mais pesado e tenso. O desemprego ronda os escritórios como um fantasma, ele age como o mensageiro da morte escolhendo sarcasticamente a sua próxima vitima.

Vou aqui fazer uma reflexão sobre esses problemas sob o meu ponto de vista como um homem de meia idade e pai de família, empresário semi desempregado que luta para manter-se são diante dos fatos inexoráveis da vida atual em nosso país.

Vejo, através do que nos acontece hoje, que os grandes aprendizados da vida vem até nós por meio do sofrimento e dos erros por nós cometidos.

Para um empresário como eu e para muitos profissionais, funciona mais ou menos assim:

Nós planejamos uma determinada coisa e ela não dá certo, dá tudo errado e nós precisamos, então, nos rearranjar rapidamente, mesmo sentindo todo o peso da frustração sobre nós. Com isso, pode não parecer, mas nós crescemos de uma forma inenarrável. São as frustrações, os erros, o sofrimento, a dor que fazem com que possamos crescer nesta vida.

Eu pensei em como seria se todos nós tivéssemos uma vida perfeita, onde não sentíssemos dor ou sofrimento, onde nada desse errado, certamente sairíamos da vida como nós entramos, ou seja, completamente vazios.

É preciso passar pelas mais diferentes situações ao longo da existência para que nós possamos aprender alguma coisa. Quem não vive, não aprende nada. E viver é acertar, é errar, é sofrer, é sentir a felicidade, é sentir a vibração dentro de nós quando nós conseguimos alcançar nossos objetivos ou não. Quando a frustração se abate sobre nós e nós sentimos a nossa impotência, nossa falta de forças para reagir, esse é o momento propício para que o ser humano se reconstrua. É aqui que devemos parar e pensar: ” Pois, se não deu certo na primeira vez, fatalmente terei uma segunda chance.”

Todos nós experimentamos várias chances ao longo da existência. É preciso aproveitá-las. Mas para isso é necessário se reerguer e dar continuidade na caminhada. Na realidade a vida não é cor de rosa, não é um campo onde todas as flores estão prontas para serem colhidas. Mas sim um campo virgem onde nós primeiro precisamos semear. Nós precisamos preparar a terra. Colocar as sementes carinhosamente sobre o solo. Enterrá-las e regar a terra para que as sementes possam germinar, crescer, florescer e dar os seus frutos. Mas pode ser que no meio da seara venha de repente uma tempestade e leve tudo embora e destrua os frutos do nosso trabalho. Mas isso não quer dizer que os dias estão acabados. Mas que devemos nos reerguer e darmos continuidade à caminhada. Por que viver não é fácil. Quantas vezes eu já pensei em desistir de tudo.

Mas para que fugir disso agora?

Ora, precisamos é aprender com tudo isso, e não fugir das situações que nos desagradam.

E como experimentar o agrado sem vencer o desagrado?

A vida é como uma escada e precisamos subir degrau por degrau, não podemos queimar determinadas etapas. Subimos degrau após degrau, um após o outro. Um pé de cada vez. Só assim chegaremos ao andar superior de nossa existência. Mas, se enganam os que acham que a caminhada acabou, é ai que começamos novamente nossa caminhada e novos desafios chegarão. E outros andares deverão ser alcançados. É assim nossa vida como seres humanos.

Nossa vida possui vitórias e derrotas. Existem momentos de alegria e tristeza. Existem sorrisos e lágrimas. Sentimos o peso da vida e choramos. Pensamos em desistir de tudo.

Descobri que nós somos uma “quadrinidade”: Corpo, coração, mente e espírito. E para não desistirmos de tudo devemos e temos que ser íntegros, ou seja, corpo, coração, mente e espírito atuando em harmonia com Deus. Precisamos estar preparados para o que virá. Precisamos estar prontos a cada instante para nos reconstruirmos e continuarmos a nossa caminhada.

A vida é isso. É uma escola onde aprendemos muitas coisas. E para que sejamos bons alunos nesta escola, temos que estar sempre bem dispostos e devemos ser sabedores da nossa “quadrinidade”, devemos saber que sem a integridade não há possibilidade de crescimento. É como em uma sala de aula em uma escola. Um aluno bem disposto e íntegro aprende mais do que aquele que não se entrega de espírito, coração e mente para os estudos. É preciso colocar o coração, a mente e o espírito nas lições para aprende-las. E na vida é assim também. Na escola da vida precisamos estar sempre bem dispostos. Precisamos da nossa disposição para aprender e evoluir e para alcançarmos os nossos objetivos.

De nada adianta ficarmos reclamando o tempo todo dizendo que a vida é uma merda, desculpem o termo, mas muitas pessoas reduzem a existência humana a isso, dizendo que a vida é uma merda, e se as pessoas pensam assim, realmente as coisas não podem melhorar. Sim, existem dias que realmente são uma merda. Dias ruins, dias péssimos. Onde nós somos abatidos por um pessimismo terrível. Por uma frustração que corroí todas as nossas esperanças. Mas isso não quer dizer que nós devemos desistir. Uma coisa é nós sentirmos frustrações e outra coisa é deixarmos que as frustrações nos derrube. E mesmo que nos derrube, não podemos nos conformar com a queda e devemos fazer de tudo para nos levantar. Muita gente se conforma com a queda. Quando elas estão deitadas ao chão, derrubadas, aflitas e sem esperança, elas acabam se conformando com isso, acreditando que a vida se resuma ao sofrimento. Mas a vida é muito mais do que isso. Mas todas essas situações, mesmo a negatividade, contribuem para nosso crescimento. É passando por todas essas coisas que nós aprendemos. Agora, já sabemos, já aprendemos que se a vida fosse perfeita não aprenderíamos nada. Nós sairíamos da vida como nós entramos nela. Vazios. É a tristeza, a dor a felicidade e as frustrações que nos fazem aprender. É com todas essas coisas que nós evoluímos. É com isso que vamos virar os destinos de nossa vida e que hoje parecem insolúveis.

Nós seres humanos somos como uma planta. Para que uma planta possa se desenvolver ela precisa estar pronta para enfrentar os mais diversos fenômenos naturais. Vento, chuva, sol calor, tempestades , seca, inundações, pragas. E quando a planta conseguir passar por tudo isso vai dar bons frutos. Com o ser humano é a mesma coisa. Nós passamos por inúmeras dificuldades e tempestades ao longo de nossa existência, mas quando superemos rendemos bons frutos. Essas tempestades devem servir para nos fortalecer e não para nos derrubar. Sim, pois existem pessoas que desistem diante das dificuldades, mas outras se fortalecem, conseguem crescer e alcançar seus objetivos.

Existem dois tipos de seres humanos: Os vitoriosos e os perdedores. Os vitoriosos não ganham sempre, em determinados momentos eles são derrotados, mas eles não se conformam com a derrota. Eles colocam na mente, no coração e no espírito, que eles tem que continuar, pois vencerão na próxima oportunidade. Isso é que caracteriza o sucesso de uma pessoa: Não se conformar com a derrota. A vida é uma escola com muitos aprendizados e precisamos estar sempre prontos para aprender. Seja por meio do sofrimento ou da alegria. Das lágrimas ou do sorriso. Portas se fecham, portas se abrem. Mas a vida nunca fecha todas as portas para nós. Ela sempre nos oferece portas interessantes e desafiadoras e se encararmos de peito aberto essas oportunidades, é claro que cresceremos e alcançaremos nossos objetivos. Sim, sempre ficaremos tristes eventualmente, mas a tristeza deve ser superada para que alcancemos a felicidade no estágio seguinte. Devemos estar prontos para tudo, tanto para a vitória como para a derrota. Nada está perdido para sempre quando temos fé, esperança e acreditamos em nos mesmos e principalmente na força, no amor e na energia que Deus nos concede para superar todas as dificuldades da vida.

Texto transcrito e adaptado do vídeo chamado: O que a vida nos ensina…  de autoria do Professor Maro Filosofo – Fica aqui meu sentimento de gratidão pelas suas sabias palavras.

Anúncios

Uma história de pai e filho…

Father-Son-StoryO filho de 9 anos vê o pai com o ar pesado e sério sentado no sofá com o rosto entre as mãos e pergunta:

– Pai, você está preocupado com alguma coisa?

O pai, repentinamente afunda o rosto nas mãos , esfrega os olhos remelentos por detrás dos óculos e olha nos olhos do filho serenamente e diz:

– Não filho, apenas pensando um pouco na vida.

O filho, ainda sem entender, pergunta novamente:

-Pensar na vida deixa a gente preocupado? Isso é filosofar? Está filosofando pai?

O pai surpreso tenta explicar.

-Depende, filho. É, ultimamente ando filosofando muito.

O filho novamente faz outra pergunta:

-Pai, meu amigo da escola disse que o pai dele ficou desempregado e ele está com medo de ter que sair da escola. Porque tem tanta gente perdendo o emprego?

-Não filho, isso não vai acontecer. Logo ele arrumará outro apesar da crise econômica. – responde o pai sem se espantar. – Atualmente isso está bem comum, tem muitos desempregados.

-Mas pai, a mamãe disse que o senhor também perdeu o emprego o ano passado por causa de crise, da corrupção. Eu vou ter que sair da escola? Eu sei que é cara.

E o menino logo emendou:

– A mamãe disse que o senhor trabalha de forma autônoma agora, isso é bom papai?

O pai surpreso respondeu:

-Nem bom, nem ruim filho. Apenas uma nova condição profissional em que estou agora.

-Então, porque você está com essa cara de tão preocupado, você agora deve estar ganhando a vida, né? – Pergunta o filho com uma carinha de sapeca.

-Ah filho, coisas de adultos, você não entenderia. Diz o pai, virando o rosto quase rindo.

-Claro que entendo, entendo sim.- Outro dia vi na internet que teve um homem que enriqueceu depois que foi despedido do zoológico. Ficou rico de repente. Mas tem gente dizendo que ele deveria ser preso por que ninguém fica rico de repente, né? Isso eu entendo. Ele deve ter feito coisas erradas para enriquecer.

O pai olhou para o filho incrédulo. Mas imediatamente ele perguntou mais uma vez:

-Pai, outro dia, indo para a escola eu notei o quanto nossa cidade é feia, pichada, com prédios decadentes e muitas pessoas vivendo nas ruas. Sempre foi assim?

-Não filho, teve um tempo, muito antes de você eu eu nascermos, em que as coisas eram um pouco mais organizadas e limpas, mas infelizmente agora está assim.

-Mas porque ficou assim? Não faz o menor sentido? Eu penso que tudo deveria ser mais bonito, não é?

Pacientemente o pai respondeu:

-As pessoas se acostumam com o feio, filho. Esquecem o que é belo. A decadência é algo lento e gradual e pouca gente percebe isso.

O filho, olhando para o chão da sala, pergunta:

-Você vai arrumar outro emprego? Precisamos de dinheiro, certo?

O pai, retomando a seriedade disse:

-Filho, não deixe que a insegurança domine você. Existem várias formas de se ganhar dinheiro de forma honesta e honrada, mesmo depois dos 50 anos. Não precisamos acreditar que só empregos salvam a vida da gente.

-Como papai? – perguntou o garoto com um brilho no olhar.

-Você pode criar uma empresa e ter muito sucesso como empresário em qualquer idade. – disse o pai sem convencer o menino.

-Mas você vive reclamando dos impostos cobrados pelo governo. Outro dia ouvi você reclamando com a mamãe que eles ficam com quase todo o lucro de sua empresa. Isso que você me disse de ser um empresário me parece estranho e ilógico como você mesmo fala.

O pai bufando por ter sido pego, diz:

-Filho, deixe eu te dizer uma coisa, a vida é como uma roda. Hoje, as coisas podem não estar tão boas, mas se tivermos paciência, perseverarmos e trabalharmos duro, podemos reverter toda essa situação.

-Poxa, pai, entendi. Eu vou fazer o seguinte, vou ajudar no que puder, mas eu ainda só sou um menino. O que você sugere que eu faça? Como exemplo, posso diminuir o tempo do banho, não gastar com bobagens, não brigar tanto com meu irmão. Posso usar um dinheirinho que tenho no banco para te ajudar. Lembra da poupança que você e a mamãe fizeram para mim?

O pai emocionado falou:

-Meu amor, apenas peço que se prepare. Leia muito, estude de forma profunda e com amor, para que no momento certo você entenda a realidade que te cerca. Intelectualize-se. Não tenha medo do futuro, se te chamarem de “nerd” sorria, não tenha medo de ser quem você é. Sendo assim, na hora certa, você se tornará um homem feito e você saberá agir e agindo você irá florescer junto com suas potencias e dons recebidos por Deus e não dependerá de um emprego para sobreviver. Jamais se esqueça disso.

Neste momento o filho diz abraçando com uma força que surpreende o pai:

-Pai, não quero que você morra, nunca, muito menos de preocupação por causa desse momento e desses problemas.

-Filho, não vou morrer. Lembra do combinado que viverei até os cem anos? Mas entenda que a morte é um fato inexorável da vida. Uma coisa eu te digo, vou fazer de tudo para ficar o máximo de tempo que eu conseguir aqui junto com vocês, até os cem anos.  Mas, se por acaso, eu partir pelas mãos de Deus um pouco antes, saiba que sempre estarei em seus corações para sempre.

O filho se afasta e olhando nos olhos do seu pai diz:

-Pai, uma ultima coisa.

-O que é menino? – responde o pai já impaciente com a situação.

Então o menino suavemente fala:

-Eu te amo. Não importa o que tenhamos, não importa o que aconteça, não importa o que você seja.  Eu sempre te amarei.