Uma revelação perturbadora de um filho diferente…

kids

Meu filho tem 10 anos de idade. Ele é bastante tímido, mas por vezes bem falante. É um menino comum quanto tantos por aí.

Meu filho gosta de ler e de estudar. Ele também gosta de computador e já sabe alguma coisa de programação.

Adora vídeo games e gosta de ficar vendo “gamers” no YouTube.

Meu filho tira 10 em matemática e aos 6 anos escreveu um pequeno livro que conta a história de um menino viajante.

Me contou que, quando crescer, quer ser talvez um empresário livre das amarras estatizantes do governo para ajudar pessoas ao redor do mundo.

Meu filho, me disse certa vez, que não entende a feiura da cidade e não gosta das pichações dos prédios e monumentos. “- São inscrições sem sentido e ininteligíveis pai! Sempre foi assim, tudo tão feio?” – Ele pergunta rindo.

Na escola, meu filho, as vezes, sofre ataques dos espertinhos de plantão por não ser igual a eles e por fazer a lição enquanto me espera para buscá-lo.

Ele não é lá muito bom de bola e fica chateado por rirem dele quando joga mal na quadra do condomínio onde moramos.

Às vezes ele chora quando percebe que tratou alguém de forma injusta e não se acalma até pedir desculpas.

Ele vai a catequese aos Sábados e volta falando de Jesus como se fosse um amigo de longa data.

Um dia, sem querer, me viu lendo uma notícia onde a manchete falava sobre cristãos sendo mortos em algum lugar no oriente médio e ficou pálido. Passou a tarde calado.

Depois me perguntou: “- Pai, porque eles fazem isso?” Eu disse: “- É apenas a maldade no coração humano que faz isso meu filho.”

Meu filho se interessa por política e um dia revelou para mim ser um conservador mirim.

Revelou que seria ótimo, não destruir o mundo para depois reconstruí-lo, mas manter a todo custo a beleza do mundo criada por Deus e pelos homens de bem e que tantos parecem odiar.

Ele sofre calado por ser diferente e disse que muitas vezes ninguém o entende.

Ele é a minoria das minorias neste país. Um pequeno conservador.

Que Deus o ajude a aceitar quem ele é.

Se seu filho é assim, não se sinta só. Que Deus ajude essas crianças a encontrar os seus iguais para formar uma grande comunidade que o Brasil tanto precisa.