A educação proibida é a que ensina de verdade.

volicaoRecentemente eu li um livro chamado Sociedade Sem Escolas de Ivan Illich . Recomendo, pois é muito interessante. É baseado em um conceito de que uma pessoa só deveria buscar a verdadeira educação se realmente desejasse aprender alguma coisa. Conta-se que por volta de 1600 DC um homem chamado Jan Amos Komenský (Comenius em latim) resolveu realizar algumas modificações na educação da idade média e criou um método onde a frequência dos alunos nas escolas fosse obrigatória. Isso é semelhante, de fato, com as escolas como a conhecemos hoje e , claro , como não podia deixar de ser, esse método foi um prato cheio para que as escolas fossem usadas politicamente por governos de todos os tipos. Antes disso, só procuravam o saber e o conhecimento, as pessoas que verdadeiramente o desejavam. Havia o estudo das Artes Liberais que eram oferecidos pela igreja e os ofícios que vinham tradicionalmente das famílias e seu trabalho secular. Hoje, no mundo todo a educação é um direito das pessoas, (Vejam o que diz nossa constituição de 1988) mas, em muitos países, caso os responsáveis não matriculem seus filhos em alguma escola, poderão ser sumariamente processados e poderão até serem presos.

Atualmente estou lendo um livro sobre a mente e o comportamento humano (A mente esquerdista). Neste livro, o autor mostra o quão complexos são os padrões que uma criança adquire na primeira infância. Mas o que o psiquiatra Lyle H. Rossiter, autor do livro, afirma, e que eu concordo, é que esses padrões são adquiridos dos pais verdadeiros ou substitutos e que a criança os levará para o resto da vida delas. Esses padrões vem principalmente da mãe. Então, essa relação bebê/mãe é de fundamental importância para a formação da personalidade do ser. É ela que formará a personalidade do indivíduo e poderá estabelecer como ele irá lidar com a realidade do mundo em que vivemos. Dependendo dos padrões adquiridos, basicamente uma pessoa poderá lidar com a vida, ou de forma ativa e responsável ou de forma vitimista e dependente, entre outras variações. Então, um indivíduo que tem responsabilidade, sabe que sua liberdade estará diretamente ligada ao seu esforço pessoal para vencer as dificuldades da vida, seja nos estudos, seja no trabalho. Já os dependentes, culparão sempre os outros, seja o professor, a mãe ou o pai pelo sua incapacidade de saber mais sobre si mesmo ou pela simples falta de vontade em agir. Sempre será um dependente, seja do estado protetor, ou de uma droga que alivie a dor da vida ou dependente de uma ideologia que facilite a vida dele ao máximo. O mais interessante é que muitos pedagogos, educadores, políticos, sabem disso. Os governos sabem disso, por isso, usam a escola para seus propósitos mais mesquinhos.

Atualmente, as escolas são, de um lado, instrumentos de engenharia social estatal à serviço de interesses políticos ideológicos e de outro instrumentos de captação de alunos/clientes para oferecer a possibilidade de ascensão social a seus clientes. Ninguém tem mais o direito de NÃO IR para a escola tradicional. Mas se o aluno entra no sistema de ensino, ele nunca será cobrado a se esforçar de verdade. Todos os alunos, até certo ponto sabem que NUNCA serão reprovados, seja no ensino publico ou particular. Qualquer esforço adicional que você impõe ao aluno, ele ameaça veladamente professores e diretores dizendo que: ” eu é que pago o salário do professor”, caso estude em escolas particulares ou o “professor nem ninguém manda em mim” em escolas públicas em todo o país. É quando essa cobrança vem dos pais para os filhos, então um problema familiar se estabelece.

Qualquer referência ou tentativa de disciplinar o aluno a respeitar códigos de conduta e regras sociais é prontamente desencorajada em nome de uma “construção do conhecimento”. Em nome de uma guerra à opressão social e familiar.

Crianças, na maioria dos casos, são curiosas, geniais, comunicativas e adoram por a mão na massa quando elas têm vontade. Em minha experiência com o ensino de várias crianças e jovens, incluindo meus filhos, percebi que elas podem aprender, e muito rápido, se deixadas a explorar o mundo que as cercam, desde que elas tenham vontade e seja aquilo que elas querem. Mas, o que muitos se esquecem, não é apenas o que as crianças querem, mas o que elas precisam aprender é o que realmente importa. E para que o aprendizado ocorra, é necessário que quatro elementos fundamentais brotem do indivíduo: vontade, disciplina, coragem e dedicação.

Crianças , normalmente, gostam muito de se sentir sem limite algum. Mas elas não tem maturidade suficiente para agir conforme suas vontades infantis. Por isso, é necessário que ela tenha uma rotina diária de incentivos a suas ações volitivas e de aprendizado que devem ser orientadas por pais e professores todo o tempo e devem sempre ser validadas e encorajadas a continuar fazendo perguntas e descobertas. Mas o que é preciso entender é que para que o conhecimento e o aprendizado correto ocorra e seja válido é necessário seguir determinados métodos. Ela precisa ser estimulada a entender a natureza daquilo que aprende e o que ela deve fazer para fixar todo esse conhecimento em seu cérebro de forma correta e duradoura sob o ponto de vista científico. Uma criança leva aproximadamente 8 anos para falar a língua mãe de forma articulada, sempre baseada no que ouve de sua mãe, pai e pessoas mais próximas. Ela aprenderá a falar o português dessas pessoas, mas ela jamais será capaz de entender a lógica da sintaxe gramatical correta por si mesma se não se esforçar e estudar ativamente sua língua mãe durante décadas sob a orientação de professores de português sérios e engajados com a língua falada e escrita de forma correta. Os alunos jamais entenderão por si só que aritmética e álgebra são ferramentas que eles usarão para o resto da vida e que só aprenderão com muito esforço e por vezes por enfadonhos processos repetitivos iniciais (vide a tabuada), mas que os ajudarão no raciocínio lógico para os estudos científicos e filosóficos futuros, ou simplesmente para não ser enganados na mercearia do bairro.

Cada vez mais nossa sociedade se torna super complexa. As tecnologias caminham junto e estão cada vez mais desenvolvidas, então não podemos mais admitir que um jovem de 16 anos não saiba como funciona a lógica matemática na multiplicação, não saiba entender a relação lógica por trás de um texto de filosofia e um programa de computador e por que é, infelizmente, necessário decorar a bendita tabuada.

Muitos alunos meus me fazem a clássica pergunta:

– Porque temos que aprender isso professor, se nunca vou usar essas fórmulas?

A resposta é simples: Aprende-se isso para a vida! Você estuda isso para dar continuidade ao legado que nossos antepassados nos deixaram. Você entende a responsabilidade que é isso? Você não está aqui nesse mundo a passeio. Quando você vai na academia, você exercita todos os músculos do corpo, principalmente os que você acha nunca usará, apenas para estar preparado para um torneio ou competição, estudar é a mesma coisa.

Eu tenho casos de alunos que nada sabem, nada aprendem, se esforçam pouco e passam raspando no “conselho de classe” em escolas de médio e alto nível em SP. Sem generalizar, o que parece é que esses conselhos de classe nada mais são que um sistema para evitar a perda de alunos pagantes (clientes) e para evitar um possível conflito com os pais caso haja uma reprovação. A escola particular, então, vira refém do mercado (dos pais pagantes e dos alunos). Os alunos, como não são bobos nem nada, sabem disso e se aproveitam para iludir pais e professores e fazem o esforço mínimo apenas para seguir adiante, mesmo sem entender os detalhes importantes de uma determinada matéria. Os pais, vendo que seus filhos são aprovados, mesmo com um desempenho ruim, ficam até certo ponto satisfeitos, pois investiram uma fortuna durante todo o ano letivo e não querem perder isso. Os alunos ficam bem satisfeitos, pois apenas passaram de ano e a escola fica feliz, pois garante matrículas para o ano seguinte mantendo assim seu equilíbrio físico financeiro saudável. Na escola pública, como é sabido, os alunos passam de ano sem esforço, os professores jamais confrontam o aluno exigindo disciplina, pontualidade e esforço, pois sabem que podem ser processados e ou agredidos (por alunos e pais) e os pais mais desavisados e sem tempo ou sem recursos, acham que, com os filhos na escola pública ou privada, o problema da educação deles está definitivamente resolvido. Alunos espertos, apenas se esforçam mais. O resultado disso você pode verificar aqui.

Ledo engano achar que está tudo resolvido, sabemos também que muitos professores tem incrustados em seu pensamento uma mentalidade esquerdista que vem sendo formada há mais de cinco décadas. Os professores são dependentes desta ideologia e mentalidade em sua grande maioria e são pressionados por escolas e governos para não reprovar alunos vagabundos em nome de uma coletividade oprimida imaginária.

O fato é: Os alunos precisam entender que sem um esforço pessoal individualizado não há como obter sucesso nos estudos e na vida. Eles precisam entender que existem os professores bons e que são uma parte fundamental no processo e suas soluções, mas existem professores ruins e que são parte do problema. Precisam saber que estudar é uma vontade individual que vem do âmago de sua alma. Vem deles o processo volitivo para empreender uma ação positiva em busca da verdade e do saber genuíno. As discussões sobre os modelos de escola, luta de classes, currículos, métodos pedagógicos etc, não passam de uma cortina de fumaça para encobrir a verdadeira raiz problema. A escola só serve como elevador de ascensão social ilusório e como instrumento político. Infelizmente não educa ninguém que não queria ser educado e não ensina ninguém que não queria saber a verdade.

O que é o aprendizado se não uma constante repetição voluntária ou involuntária de termos e palavras, expressões e números? E com isso, poder fazer as perguntas certas para encontrar as respostas certas? Tem certas coisas que não tem como aprender se não estudar até marcar no cérebro. É como fazer um carimbo que é impresso na mente. E isso deve ser feito de forma sistemática e inteligente. Não existe aprendizado sem esforço, sem disciplina, sem dedicação, sem coragem e principalmente sem amor ao saber. Podemos até questionar o formato de salas de aula, currículos, pensadores e pedagogos etc, mas não podemos negar o fato de que, para aprender efetivamente é necessário sempre um esforço a mais de quem estuda. Não existe esse papo do aluno construir seu saber, assim do nada, levando em consideração apenas que sua condição social será o catalisador que fará ele entender a realidade tal qual ela é. Isso não é aprendizado acadêmico científico e jamais será, isso é, verdadeiramente, outra coisa.

Cesar Manieri – Engenheiro eletrônico, professor de matemática e orientador vocacional e  de apoio no desenvolvimento escolar de jovens estudantes. Músico, escritor e fotografo amador.

Anúncios

No mundo, reina a loucura.

bebzaoÀs vezes é necessário colocar os pensamentos reacionários para fora da cachola. O mundo está tão confuso, tão fora de ordem, que nem sei mais o que fazer. Em nome de um progressismo idiota, estamos nos transformando em escravos de um sonho. O sonho de todos sermos politicamente corretos com tudo e com todos.O sonho de uma revolução por um mundo perfeito que jamais será alcançado. Vivemos em um mundo onde tudo está invertido, fora da ordem, onde reina a loucura.

Recentemente, uma mulher grávida, abordou minha mulher. Ela estava sob síndrome de abstinência do crack. Era uma rua fedorenta no centro de São Paulo, estávamos parados no trânsito esperando nossa vez de entrar no estacionamento do mercado.

– Ei, me da uma comida aí? Ela pediu! mostrando a barriga proeminente.

-Não temos comida, senhora – respondeu minha esposa, educadamente!

Putos, vagabundos!! Ela vociferou algumas palavras ininteligíveis enquanto nos ameaçava.

Minutos depois, um policial que me deu uma bronca danada por eu estar “atrapalhando” o trânsito parado nesta rua fétida e asquerosa.

– O que o senhor pensa que está fazendo? Você vai pra onde? Pra esquerda? Pra direita? Num tá vendo que está atrapalhando o transito? Seu irresponsável…

O motivo era que guardas da CET estavam “controlando” o acesso ao estacionamento e demoravam para liberar a entrada ao local. Olhei para o policial de forma politicamente incorreta, mas educadamente e disse:

– Senhor, eu vou sempre para a direita, o problemas são seus colegas estatais que estão fazendo o corpo mole deles.Olha lá, eu disse apontado para os dois marronzinhos, veja, estão batendo papo sobre o cheiro de merda do rio. Eles são os responsáveis, converse com eles, por favor.

O policial, com uma cara de bunda, sem entender direito, seguiu seu caminho e eu entrei no estacionamento cheio de pedintes com abstinência de drogas. No caminho, ainda fui abordado por um travesti oferecendo seus serviços.

– Obrigado senhor, não faça isso, eu estou com minha esposa e meus filhos aqui, respondi.

Seu viado!!!! Disse o travesti com uma voz embargada pelo excesso de bebidas.

Homens modernos são infantilizados, efeminados e qualquer manifestação de masculinidade é atacada como se fosse doença.

Quando alguém diz a verdade, os loucos respondem:

– Ninguém é dono da verdade!!!

Quando não, o chamam de filho da puta, apenas por dizer o óbvio.

Quando um ladrão aborda um trabalhador para roubá-lo, ele fala:

– Passa a grana aí o vagabundo!!!

Outro dia, um rapaz, famoso por gravar vídeos fazendo perguntas simples a manifestantes de esquerda, recebeu a seguinte frase na cara de um homem barbado, manifestante de esquerda:

– Fascistas como você a gente dialoga na ponta do fuzil!

É ou não é loucura? É a inversão da realidade. É a revolução da loucura em marcha.

O que dizer para essa gente que, em meio a sua loucura, te chamam justamente do que eles são?

Quem criou isso e quem segue isso e entrou nessa loucura, não saiu da fase criança da vida. São dependentes de alguma coisa e serão para sempre. Não aceitam o simples fato que cresceram e agora a vida exige que tenham responsabilidades. São gente que se revolta com tudo e com todos. Responsabilizam Deus por os fazerem ter que trabalhar e lutar para ganhar a vida. Gente rebeldezinha sem saber nem o porque está rebelde. São como bebes chorões que pensam tem o poder de tirar as fraldas sozinhos, pensam que já são donos de si, mas precisam desesperadamente de alguém que cuide deles. São capazes de brincar com a própria merda, as comem e gostam.

Para terminar, hoje eu li esse interessante comentário em um blog que eu sigo:

“Se um homem hétero for cantado por um homem gay, para recusar a cantada terá de responder: – desculpe, mas já tenho namorado. Do contrário, será acusado de homofobia.
Se o gay cantador for negro, terá o hétero de provar ainda, se branco for, que não o recusou por racismo.
Será crime dizer que um negro ou negra é feio ou feia. Somente poderá ser chamado de feio o branco.
Se uma negra quiser namorar um branco, será discriminada pelos homens negros; se um homem negro quiser namorar uma branca, esta será odiada pelas mulheres negras.
Se um homem negro bater na namorada branca, nada lhe acontecerá porque quem der queixa será acusado de racismo; se um homem branco agredir a namorada negra, será acusado de machismo e racismo.
Se um homem negro recusar cantada de gay branco, não será chamado de homofóbico mas sim de negro de bom gosto; se for o oposto, o branco será acusado de homofobia e racismo; se os dois forem negros, o hétero será acusado de homofobia, mas, por ser negro, será depois perdoado.”

Isso é ou não é uma loucura?