O dia que encontrei o Sr José Lewgoy!

lewgoyFoi no fim dos anos 80 ou início dos anos 90. Não me lembro bem. Apenas me lembro que estava hospedado no hotel Beira Mar Norte em Florianópolis. Saí do quarto no 5° andar bem calmamente naquele fim de manhã para dar um passeio pela orla marítima. Pacientemente esperei o elevador chegar ao meu andar. Alguns segundos de espera e observei a luz indicativa na parede se acender e ouvi aquele “plim” característico.

Quando a porta se abriu, vi um senhor de pé apoiado em sua bengalinha. Entrei e disse o tradicional “bom dia”. O senhor respondeu com um sorriso leve. Novamente olhei para aquele senhor e vi que o conhecia. Era o Senhor Lewgoy.

A viagem foi rápida , mas o suficiente para eu lembrar de tudo que havia visto do trabalho dele. A porta se abriu no andar térreo. Ele saiu. Eu me dirigi ao salão de café. Ele para a saída, caminhando lentamente. Não trocamos uma palavra, mas, mesmo assim, foi uma honra ter ficado perto de um ator tão emblemático quanto ele.

Recentemente vi um documentário sobre a vida do José Lewgoy na TV a cabo. Sugiro que quem nunca viu o trabalho desse ator maravilhoso, faça uma rápida pesquisa e, garanto, encontrará historias incríveis sobre ele.

A mim, resta apenas a saudade dos dias maravilhosos que vivi em Floripa, e que me traziam esses pequenos presentes que, eventualmente, a vida nos dá.

Anúncios

Lições de amor

love-lessonsA vida nos surpreende a cada instante. Não temos controle sobre nada nesta nossa porca e miserável vida. Um dia achamos que somos eternos e em outro percebemos a nossa finitude. Somos tolos em achar que somos donos de alguma coisa na vida. Não somos. Vivemos através dos nossos erros e acertos. Quando pensamos que estamos acertando, erramos. Quando pensamos que erramos, acertamos. Quanta incoerência. Na verdade, raramente somos gratos pelas incoerências que enfrentamos.

Formamos nossas convicções durante os anos e vamos amadurecendo. Pensamos tantas coisas, mas no fundo, no fundo mesmo, queremos o amor, queremos ser amados. Tememos o abandono. Queremos resgatar nossa vida pelo amor. E o que é o amor, se não o sangue da vida. Ele une o que está separado há muito tempo. Ele junta os opostos. Faz com que o tempo pare. Transforma longos anos em um simples átimo de tempo. Não duvide da força do amor. Ele transforma vidas e derruba padrões que criamos em nossa mente doentia. Quebra o que era coerente em mil pedaços incoerentes e te enlouquece.  Muita gente é solitária de forma doce. Mas eles só saboreiam o doce sabor da vida real quando conectados a alguém. Descobrimos com as primeiras experiências a apaixonada intensidade, que o amor pode oferecer e a dor que pode causar.  Esse amor é o mais puro, o mais inebriante de todos.

Às vezes, as lições de amor são apavorantes, nos enche de provas dificílimas e deixa-nos sem chão. É como o Indiana Jones que tinha que atravessar o abismo sem ponte para pegar o Santo Graal. O amor é algo simples e que preenche nossa vida. Não é cheio de diamantes, flores e borboletinhas saltitantes. É o cálice que o Indy escolheu. Ele é simples, tosco. Mas o amor nos ensina a crescer. Crescer significa que seus sonhos mais loucos não podem ser realizados. Crescer significa abandonar esses sonhos pueris em troca de uma conexão mais profunda, mais duradoura e que transcende essa vida.

Se não temos essa consciência sobre o amor, começamos a fantasiar. Os devaneios satisfazem os desejos. As fantasias tornam nossos desejos em realidade que nos liga a desejos antigos não satisfeitos.

E isso é efêmero, fantasias são efêmeras, desejos são efêmeros. O amor não é.

O amor ultrapassa o limite da vida. O amor nos ensina o quanto nossa alma é imortal….